GASTRONOMIA DE PORTUGAL

Receitas, História e Eventos!

Espetada Madeirense. A Receita e a sua Origem!

A ilha da Madeira possui uma cultura muito peculiar, o que se reflete nas suas iguarias tradicionais. Irá ficar a saber um pouco mais acerca da nossa gastronomia, mais especificamente acerca da espetada madeirense, um dos pratos mais conhecidos e adorados pela população madeirense.

A espetada típica madeirense é confeccionada com carne de vaca tenra, louro, sal, alho e é depois colocada no pau de loureiro a assar. Este prato é encontrado em outros países, com diferentes denominações e modos de confeção. Na Madeira é particularmente diferente, pois só são utilizados a carne de vaca e o pau de loureiro, que assume o papel de espeto.

A Origem e História da Espetada Madeirense

 Atualmente, a espetada é consumida por qualquer cidadão da ilha que tenha interesse em prepará-la. Todavia, nem sempre foi assim. Antigamente, devido ao preço da carne de vaca, esta iguaria não era consumida regularmente pelas populações mais carenciadas, só era possível degustá-la em eventos festivos, nos arraiais ou nas romarias madeirenses. 

Nestes arraiais não podiam faltar as barraquinhas que vendiam a carne de vaca e o vinho regional.

Estas festas de cariz religioso eram bastante importantes, não só para o comércio, como também para a fé cristã, pessoas provenientes de freguesias distantes reuniam-se nestes dias para celebrar e usufruir de alguns “privilégios” que nem sempre estavam ao seu dispor. 

Estas reuniões comemorativas disponham de algumas fogueiras e espetos junto às barraquinhas de comes e bebes com o intuito de facilitar a confecção desta iguaria tão deliciosa e desejada por todos, nestes eventos. Os espetos eram feitos a partir de ramos de loureiro, esta planta tinha alguns usos, poderia ser usada para cobrir a parte inferior dos mastros das bandeiras, que eram utilizados como decoração nas festas, e também serviam para forrar as estruturas superiores das barracas. Estes espetos continuam a ser utilizados, sempre com o principal intuito de dar um específico sabor à carne. 

Como acompanhamento da carne não pode faltar o vinho. Tradicionalmente, a espetada madeirense era acompanhada com vinho, que poderia ser adquirido nas várias barracas ao redor das festas, porém, com o passar do tempo e com o aparecimento dos refrigerantes, esta tradição foi ligeiramente alterada, juntamente com o vinho passaram a misturar “Laranjada” (bebida produzida na ilha da Madeira desde 1872) com o principal intuito de diluir o elevado grau de acidez e diminuir o seu teor em álcool.

Devido ao sucesso deste prato, houveram algumas alterações em relação à sua confecção: os espetos de loureiro foram substituídos por espetos de alumínio ou de ferro, pois torna a sua confecção mais simples, porém, hoje em dia ainda são usados os espetos de loureiro por aqueles que têm interesse em dar um particular gosto à carne; em relação ao acompanhamento, passaram a servi-la juntamente com batata, milho frito, bolo do caco e salada; relativamente aos temperos, primeiramente era apenas utilizado o sal, mas com o passar do tempo as pessoas começaram a utilizar também alho, pimenta da terra e loureiro, colocando-os na carne antes de ir a assar. 

Graças a estas tradições, a ilha da Madeira foi ganhando cada vez mais estatuto a nível gastronómico e cultural, os residentes começaram a interessar-se e a investir mais nos nossos costumes, facilitando a acessibilidade a este tipo de iguarias tradicionais. Hoje em dia, estes costumes, tradições e bem como a nossa gastronomia são uma das maiores atrações do destino Madeira.

 A Sua Introdução na Restauração

A sua introdução na restauração, ocorreu em meados dos anos 50, quando Francisco da Silva Freitas inaugura o primeiro restaurante de espetadas da Madeira. Este restaurante foi inaugurado na Freguesia do Estreito de Câmara de Lobos, começando por ser um pequeno estabelecimento onde apenas um reduzido número de pessoas tinha conhecimento da sua existência. As pessoas reuniam-se com o principal intuito de comer a tradicional espetada. Ao longo do tempo, este estabelecimento foi ganhando cada vez mais fama, começaram a aparecer cada vez mais pessoas originando a criação de um restaurante. O proprietário do restaurante nunca teve muita preocupação na escolha do nome do restaurante, mas rapidamente as pessoas associaram-no ao nome “Vides”, pois era o material com que era feito o braseiro para assar a carne. O braseiro era feito com este material pois havia bastante abundância do mesmo e pelo facto de que, ao serem queimados não libertavam nenhum odor capaz de mudar o sabor da carne.

Após este acontecimento, rapidamente começaram a inaugurar diversos restaurantes com esta especialidade, como prato principal, por toda a ilha.

Como Fazer a Espetada – Método de confeção

 Atualmente, a espetada é um dos pratos mais consumidos nas festas e romarias ou até em convívios familiares e privados, onde as pessoas têm o principal intuito de festejar e confraternizar. Aqui irei explicar como pode confeccionar esta deliciosa iguaria, típica entre a população madeirense. 

Ingredientes para a “Espetada tradicional”

  • 1kg de lombo de vaca
  • 1 ramo de louro verde
  • 2 cabeças de alho
  • sal grosso q.b

Modo de Preparação da Espetada

  1. Corte a carne em cubos ou paralelipidedos pequenos e reserve;
  2. Esmague as cabeças de alho e o louro no almofariz;
  3. Coloque a carne nos espetos de loureiro (se não tiver, pode optar por usar espetos de ferro) colocando a gordura toda virada para o mesmo lado;
  4. Tempere com o sal, alho e louro;
  5. Asse bem dos dois lados;
  6. Ao retirar do braseiro, sacuda os espetos um no outro de modo a eliminar o excesso de sal;
  7. Retire a carne do espeto à medida que vai servindo;
  8. Acompanhe com milho frito, bolo do caco e manteiga de alho. 

Fonte: https://blog.madeira.best/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *