GASTRONOMIA DE PORTUGAL

Receitas, História e Eventos!

Se “qualquer burro come palha”… fiquemo-nos pelo Pudim do Abade de Priscos.

Quantos, dos que já se deliciaram com o Pudim, saberão que o clérigo gastrónomo afinal nasceu em Santa Maria de Turiz, terras de Vila Verde? E que Manuel Joaquim Machado Rebelo era o seu nome de baptismo?

De Priscos, em Braga, foi pároco durante 47 anos. Pouco se conhece da sua actividade eclesiástica mas ninguém terá dúvidas de que terá sido um dos grandes gastrónomos e cozinheiros portugueses.

Embora, tirando o Pudim que leva o seu nome, quase não tenham ficado nenhumas das receitas que era convidado a confeccionar nos banquetes para que solicitavam a sua intervenção. Nada deixou escrito.
Segredos de ingredientes e sabores levou-os a todos consigo. Guardava-os na sua cabeça e na arte das suas mãos!

A igreja de Priscos. Imagem de Deolinda Keng.
Clique para ampliar e ver a fotografia original

Chegava com a maleta de iguarias e ervas que colhia nas serras. No momento de temperar, expulsava toda a gente da cozinha e, a sós, celebrava os milagres que seriam aclamados à mesa, depois da fruição dos pratos.

Sempre considerou que não valia a pena escrever ou ensinar as receitas. Porque “pode-se ensinar a receita mas não se pode ensinar a mão”. E é nos dedos e no paladar que está o segredo todo, dizia ele.

Conta-se que num banquete para o Rei D. Luís, na Povoa do Varzim, terá explicado ao soberano que um dos ingredientes de que tanto gostara era… palha! E perante reacção do rei, ter-se-á limitado a dizer que Todos comem palha. A questão é sabê-la dar…

E já que quase nada nos deixou… celebremos, ao menos, o Pudim do Abade de Priscos!
Esse… a Receita temos!

PUDIM DO ABADE DE PRISCOS (Priscos, Braga)

Ingredientes:
• 400 g de açúcar • 3 dl de água • 50 g de Toucinho (segundo o Abade, toucinho de bom, gordo, de Melgaço ou de Chaves) • Casca de um limão • 1 pau de canela • 15 gemas • 1 cálice de vinho do Porto • 200 g de açúcar para caramelar a forma •

Preparação:
• Leva-se ao lume o açúcar, a água, o toucinho (cortado em tiras muito finas), a casca de limão e o pau de canela.
• Ferve até obter uma calda em ponto de fio (quando formar fio entre o dedo polegar e o indicador).
• Retira-se a calda do fogo e passa-se por um coador para retirar o toucinho, a casca de limão e o pau de canela. Deixa-se esfriar e reserva-se.
• Misturam-se as gemas e o vinho do Porto e passa-se tudo por um passador de rede fina. Sobre esta mistura deita-se a calda, em fio.
• Coloca-se o creme numa forma de buraco, para pudim, previamente untada com caramelo, põe-se-lhe a tampa e assa-se no forno 200 ºC em banho-maria (com água já fervendo), durante aproximadamente 1 hora.
• Deixa-se esfriar e desenforma-se.

► Mais Receitas em http://on.fb.me/1Z8mIo9

(Retirada de “Receitas e Sabores dos Territórios Rurais”, editado pela Minha Terra – Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local, disponível em bit.ly/1NlkqxU)

Fonte: https://descobrirportugal.pt/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *