GASTRONOMIA DE PORTUGAL

Receitas, História e Eventos!

CAVACAS DE RESENDE

Tudo o que sabe bem, faz mal, engorda ou é pecado… Pequemos irmãos, pequemos!

O Douro molha-lhe os pés em Aregos, uma das suas povoações mais antigas que se derrama pelas margens.
Resende, nestas coisas dos paladares e dos sabores inconfundíveis, é vaidosa das cerejas que a Primavera traz em Maio. E, claro… das Cavacas!

Das origens deste doce pouco se sabe. Há quem o ligue aos primores conventuais do norte de Portugal, mas as referência são escassas e de pouca fiabilidade…
E, já se sabe, quando falha a história ganha força a lenda. Porque o imaginário colectivo de raiz popular encontra explicação para tudo!
Com todas as ressalvas… contamos-lha como nos chegou:

Na Idade Média, uma senhora que residia em Vinhós preparava a boda de casamento da sua filha e confeccionou o bolo de noiva. Mas o casamento teve de ser adiado devido a uma peste assolou o concelho. 
As disponibilidades económicas eram poucas e a senhora viu-se obrigada a conservar o bolo até à data do casamento. Lembrou-se de lhe retirar a parte de cima e molhar o resto numa numa calda de açúcar.

Um achado:  restituída a frescura, o bolo fez as delícias de todos os convidados. Terá sido assim? Claro que não poderia ter sido. Pelo menos com acúcar. Se ainda fora com mel…

A época dos Descobrimentos ainda vinha longe. E o acúcar estava longe de chegar de ser vulgarizado. Mas, convenhamos, esta solução teria sido magistral!

Preparem-se portanto para saborear estas Cavacas de Resende. Porque, agora que lhe conhecem a lenda, só falta mesmo a receita.

Não se enervem: Está aqui à vossa espera!
Com uma certeza: é calórica que chegue! Mas perdoa-se-lhe pelo bem que sabe…

Ingredientes:
• 16 Ovos • 480 g de Farinha • Açúcar •

Preparação:
• Batem-se bem os ovos, durante uma hora, com uma colher especial e com a ajuda de correias.
• Junta-se a farinha e, nessa altura, não se deve bater mais, mas sim envolver simplesmente a farinha, que se deve deitar só de um lado.
• Unta-se um tabuleiro e polvilha-se com farinha, deita-se dentro a massa e vai ao forno.
• Depois da massa cozida, dão-se-lhe uns golpes, partindo à mão. Deve ficar em fatias.
• Põe-se açúcar em ponto e vão-se cobrindo as fatias com açúcar e farinha.
• Faz-se esta operação da seguinte forma: molha-se um pincel, primeiro em farinha e depois em açúcar. Cobrem-se a cavacas, levando-as depois a secar ao forno.

► Mais Receitas em http://on.fb.me/1Z8mIo9

(Retirada de “Receitas e Sabores dos Territórios Rurais”, editado pela Minha Terra – Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local, disponível em bit.ly/1NlkqxU)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *